Charlotte Gainsbourg e Lars von Trier

3 jul

Por Gisèle Miranda

Cannes de 2009 premiou a atriz Charlotte Gainsbourg – sem nenhum favoritismo. Beleza peculiar aos  40 e poucos anos com cara, corpo e jeito de 18 anos. Mãe de um rapaz de 16 e uma menina de 10 anos com seu companheiro israelense Yvan Attal, ator e diretor.

Charlotte Gainsbourg, In: Folha de S. Paulo, 2009

´Moça de família´ polêmica. Filha da atriz inglesa Jane Birkin com o multifacetado ´artista, cantor, poeta e etc.´- o francês Serge Gainsbourg (1928-1991), que foi homenageado em uma exposição em São Paulo. [1] Serge ficou conhecido na França como artista ´maldito´.

Charlotte sob palmas foi eleita a melhor atriz do vaiado Antichrist do diretor dinamarquês Lars von Trier, dedicado ao diretor russo Andrei Tarkovski. O par de Charlotte é o ator norte americano Willem Dafoe, que não hesitou nas cenas fortes do infernal filme – de culpa e sexo. Sexo que foi tema nas críticas especializadas como horror trash beirando o pornô. (*)

Charlotte Gainsbourg e Willem Dafoe em cena de Antichris, In: Folha de S. Paulo, 2009

Desde Os idiotas, filme que comporta a trilogia da grande estréia de von Trier como diretor consagrado, maldito e sem pudores para as cenas de escárnio e sexo – vale a lembrança de sua experiência à efetiva e consolidada postura de ir com os atores até o impensável – ao explícito.

Se pornô ou um novo Império dos Sentidos, são imperdíveis Lars von Trier, Charlotte Gainsbourg e de Willem Dafoe com seus sexos, medos e dores como uma furadeira em alguns conceitos a partir de seus personagens – psicanalista/marido – paciente/esposa viveram na direção desse Antichrist dinamarquês.


(*) O filho de Charlotte (na época com 12 anos) viu o filme e reclamou de uma das cenas de sexo explícito. Pedindo inclusive para a mãe abolir a cena. Contudo, após Charlotte ser escolhida como melhor atriz do Festival de Cannes, ele se desculpou e a parabenizou.

V. Tb.:

Jornal da Mostra (Cannes 2009), n. 636 por Leon Cakoff: “Com Lars von Trier e Ken Loach, do inferno à redenção.

Serafina (Revista do Jornal Folha de S. Paulo, maio 2009, por Fernando Eichenberg: “Moça de família”, p. 8 e 9.

* Sobre a polêmica de Lars von Trier e o ´nazismo´(2011) – momento `Idiota`, infeliz e criminoso que lhe custou ser ´persona non grata´ em Cannes sugiro a reflexão  Slavoj Zizek http://www.luciamotta.com/2011/06/slavoj-zizek-liberdade-da-internet-e.html /

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: