I am not a woman writer

18 out

por  Beauvoiriana


A expressão não tem equivalente em português. Je ne suis pas une femme écrivain/I am not a woman writer. Traduzida para o português, perde-se o sentido da negação parcial mantida nos outros idiomas. E é justamente por essa negação parcial que, em francês e em inglês, a frase expressa uma profunda reflexão.

De que lugar escreve uma mulher? Existe uma escrita feminina? E até que ponto essa hipotética escrita está enraizada nos preconceitos em relação à mulher como intelectual e indivíduo do mundo das letras?

 

Simone Beauvoir aos 44 anos. Foto Art Shay/Nelson Algren, 1952

 

Simone de Beauvoir jamais foi alheia a essas questões. Na verdade, elas sempre impuseram a Simone um dilema. Exatamente por ter contribuído tanto para os estudos sobre as mulheres, e por ter escrito sobre as mulheres, com destaque especial para a composição de suas personagens femininas, Simone sempre foi vista como uma mulher que escrevia. (a woman writer/une femme écrivain).

Assumir tal lugar na sociedade, entretanto, é assumir uma posição inferior? Eis o dilema. Estando a mulher em condições de inferioridade na vida em sociedade – como Simone mostrou e como Virginia Woolf argumentou em Um teto todo seu, obra que Simone admirava – estaria a escritora também em um nível abaixo ao dos escritores? Ao mesmo tempo, exercer a função política do intelectual, que Simone tanto prezava, não significa falar a partir de sua posição, de seu lugar na sociedade? Valem as ideias de uma mulher tanto quanto as de um homem? As questões não param aí. Assumir-se como mulher escritora é assumir-se como diferente das mulheres que não galgaram uma  posição no mundo da reflexão?

O dilema é de difícil solução, e se Simone abriu as portas para a formulação dessas questões, certamente não trouxe, em sua atuação como escritora e filósofa, todas as respostas possíveis. Simone falava do ponto de vista de suas convicções existenciais e políticas. E quando essas convicções exigiam que se posicionasse como mulher, ela o fez. Quando exigiam que se posicionasse como indivíduo, também o fez. Mas a publicação de O Segundo Sexo exigiu, cada vez mais, que ela falasse a partir do ponto de vista de uma mulher intelectual.

As mulheres intelectuais sabem o quanto o gênero pesa sobre suas realizações, sobre o reconhecimento de sua obra e de sua originalidade. O dilema não vai ser resolvido a partir de uma pensadora, de um grupo de mulheres que alcançam sucesso com seus escritos, nem de uma ou duas gerações. O dilema só será resolvido quando a condição da mulher for efetivamente transformada e a igualdade conquistada.

Até lá: é legítimo a qualquer mulher reivindicar seu posto como independente de seu gênero. Eu não sou uma mulher que escreve; eu não sou uma mulher presidente; eu não sou uma mulher executiva; eu não sou uma mulher operária. Eu sou uma pessoa que ocupa na sociedade uma posição qualquer, independentemente de meu gênero.

A genial Cecília Meireles tinha a solução para seu dilema. Ela recusava-se a ser chamada de poetisa (a woman poet/une femme poète). Cecília Meireles era poeta. Igual a qualquer outro poeta.

Anúncios

5 Respostas to “I am not a woman writer”

  1. Tecituras - Gisèle Miranda 26 de outubro de 2015 às 18:21 #

    Republicou isso em .

  2. Beauvoiriana 18 de outubro de 2010 às 21:41 #

    Alguns motivos sobre por que a leitura de Simone de Beauvoir é atual eu já expus, mas concordo, seria muito interessante aprofundar essa questão. Não nascemos mulheres, nos tornamos mulheres, Simone disse. E esse tornar-se é diverso em cada tempo e lugar. Mas Simone foi a primeira a dedicar-se à explicação de por que é assim…

  3. Srta. Sbaile 18 de outubro de 2010 às 15:09 #

    Muito bom!

    Poucas pessoas falam sobre a atual situação na mulher na sociedade. Enquanto racismo já é considerado tabu em boa parte do planeta, machismo não parece ter alcançado este patamar ainda. Indivíduos, sim, todos somos indivíduos. Já passou da hora da mulher parar de ser “o preto do mundo” (John Lennon) e começar a ser indivíduo com um tele-encéfalo altamente desenvolvido e um polegar opositor.

    Abraço à equipe do Tecituras!

    • Beauvoiriana 18 de outubro de 2010 às 17:51 #

      Que bom ver seu comentário aqui, Srta.Sbaile. Como Simone de Beauvoir diz: “a mulher é o outro”. Uma posição construída por milênios e bem difícil de desconstruir. Principalmente porque, ao contrário do machismo, que é contra as mulheres, o feminismo não é contra os homens, é apenas pela igualdade. Como poeta, Cecília Meireles mostrou isso poeticamente, mostrando o poder de uma simples palavra. 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: