Série Obra Inacabada II: MONTANHA

7 abr

Por  Janaina Fornaziero Borges

Stencil é uma técnica da gravura que vem de encontro à arte urbana. Uma linguagem imagética, uma palavra impressa em uma fonte diferente, uma marca, uma assinatura.

Em stencil fiz um desenho poético de dois cogumelos formando a letra J. Desenho que vem se repetindo nas minhas produções há alguns anos e, como poética transpus para os muros da Universidade Estadual de Maringá (UEM) e para os muros da cidade de Maringá.

jana foto 2

Janaina Fornaziero Borges. Jotas, 2016. Foto digitalmente modificada/ repetição. (4336 x 3256 cm).

Depois parti do stencil J  para outro desenho: uma montanha. A montanha como ascensão do conhecimento, elevação, subida, descobrimento. O que elevou o meu conhecimento e despertou a minha vontade de intervir.

Para o mural Montanha (em repetições de montanhas)  foi-me concedido a parede da cisterna de água do bloco I -12 /UEM com oito metros de comprimento por um metro e setenta de altura.

jana foto 1

Janaina Fornaziero Borges. Mural Montanha, 2015. Tinta acrílica sobre parede cimentada (8,00 x 1,70 cm).  Foto da autora.

Fiz duas faixas coloridas como fundo para significar o abstrato geométrico: verde escuro e vermelho como cores complementares; e as cores das montanhas foram em princípio, aleatórias, mas fui compondo cores que sobressaíram sobre o vermelho e o verde.

Sobre o vermelho utilizei azul claro, violeta claro e amarelo. Sobre o verde, utilizei rosa claro, laranja e branco. E o resultado da composição se uniu a um ato denominado  Performance Hidráulica.

*

Referência visual através dos trabalhos da artista Mônica Nador (Ribeirão Preto/ SP, 1955-)

A artista contemporânea Mônica Nador desenvolveu um trabalho coletivo tendo como poética a inclusão, a diversidade e a humanização. Seu trabalho é itinerante  e circula pelas periferias das cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro. A artista cria em parceria com comunidades utilizando, sobretudo, a técnica do stencil para pinturas em fachadas de residências com a ajuda de seus moradores.

Mônica Nador praticamente abandonou a produção de trabalhos de arte tradicionais desde 1999, voltando-se mais para a produção de pinturas murais em comunidades carentes, onde também passou a residir.

Em 2004 nasceu a Associação Jardim Miriam Arte Clube (JAMAC), sem fins lucrativos e formada por artistas e moradores do bairro Jardim Miriam, zona sul da cidade de São Paulo, a partir do projeto “Paredes Pinturas” desenvolvido por Mônica Nador com a proposta de inclusão das comunidades no processo de criação e valorização das suas produções por meio do potencial transformador da arte.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: